s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Donizeti Sampaio [Zetipoeta]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
ESNOBANTE AVAREZA

Na noite enquanto pressentia
Pensamentos da quntica
Trilha sonhadora e abastada
Maturando fielmente a viagem que fervilha
Ilustradora romntica
E, infinitamente enfadada.

E, devidamente regido
Pela beno da vida
Da idade madura.
Vem saborear algumas palavras, urgido
Docilmente da honrosa lida
Determinantes de suave brandura.

Somado do respaldo
Do beneficente aval
Alimentando o fato.
Quando o legado
Tem sido o primordial
E mais que presente regalo.

Ento, perto de observar
Detalhadamente com clareza
Do favoritismo absoluto
Interpondo a plagiar
E esnobar a avareza,
Faz o poeta resignar devoluto.

Assim, ao escrever esta histria
O fez repensar
Da forma inteligente operante
Na aproximao de sabedoria,
Ao refletir e ouvidar
Alguns exemplos semelhantes.

Zetipoeta
21/08/2008


OUSADAS INCURES

Poetas! Vs que sois os pioneiros
Representantes diretos da beleza
E, do amor estrugido nos coraes
Fale-nos um pouco de devaneios
Da conduo da alma turquesa
Que irradia emoes.

Tambm, narre-nos com acalantos
E a necessria frieza
Das espetaculares inspiraes.
Mesmo que vos faam prantos
De maiores sutilezas
Para ousadas incurses

No permitam que algum incgnito
Vindos da esperteza
Inibam as solues.
Julgando ser indmito
Ao se deparar com a nobreza
De suas definies.

E, traga-nos o delrio
De se fazerem presentes
Em suas belas citaes.
Para aliviar-nos do martrio
Perturbador inconseqente
De algumas situaes.

Enquanto passam pela vida
Sacudindo os mortais
Apregoem objetivar
Na passagem definida,
Se transformarem em imortais
Eternizando o rimar.

_______________________
Donizeti Sampaio
08mai08


INFINITA ESPERANA

Outro dia, embudo em pensamentos
Bem distantes e, marquetando
O voluntrio consciente, a quem
De decidir no direcionamento
Das evidencias que vinham afetando
O prazeroso zem.

O que costumeiramente faz as angstias
Da alma efervecerem
No oportunismo da desiluso
Porquanto algumas lamrias
Relutantes e contundentes entristecem
Maldosamente o corao.

Quando, mesmo indignado sobrevive
Sequelado enormemente de dor
Procurava buscar o msero consolo
Preeminente enquanto revive
Abrasadamente o lquido topor
Amargo e, estpido de rebolo.

Assim a infinita esperana
Pouco a pouco inova
Alicerada do firme propsito
Guardada na aventurana,
Ressurge robustada e renova
A fortido do gracioso esprito.

Porquanto no cu alguns anjos sorriram
Com a distino da graa
Da liberdade alheia.
Muito felizes, pois assistiram
Fascinados como que o homem alcana
Agraciados da Divina inteligncia.

______________________
Donizeti Sampaio
30mai08


GIGANTE QUE TEMEMOS

Girando no prprio eixo e ao redor do sol,
Nosso planeta azul
Harmonioso e deslumbrante
Cobre-nos do lenol
Turqueza de Cabl,
Clareando horizontes.

Por onde sai a riqueza
Provida da manjedoura
Para fartar de abundncia.
Emanada de riqueza
Da fonte inspiradora
Lotada de objetivncia

Estabilizando guas, para resfriar
Os continentes que vivemos
De ncleo incandescente.
Levando-nos a orbitar
Do gigante que tememos
Como mortais interamente.

Enquanto na imensido do espao
Nosso belo astro rei
Governa literalmente
A fsica de teu regao.
Estabelecida da prpria lei
Imposta pelo cervante.

Para o que foi constitudo,
E servir a amplitude
Do eterno dominante.
Estabilizando no infinito
Exuberante magnitude
De reinar perseverante.

___________________________
Donizeti Sampaio
22Maio08


QUIMERA PEREGRINO

Quando na graciosa sombra
Da gigante e florescida paineira
Enquanto respirava o exalar constante
Sentado na maciez da alfombra,
Como o da fecunda macieira
Privada ao den inocente.

E, sentindo o fervilhar pensante
Alvoroar gostosamente a sensatez
At abrir os caminhos da inspirao,
Conduzindo o poeta infinitamente distante,
Muito perto da maluques
De qualquer sonho da imaginao.

Indo provar o sabor acentuado
Exclusivo da fiel
Conscincia inovadora,
Na juntada de dados
E do suculento mel
De raiz inovadora.

L no lar da natividade, rico e vioso
Criado aos pequenos
Moradores do imenso universo,
Sempre limitando ao mais pretensioso
Nos quimeras, peregrinos
Dos audazes criadores de versos.

Ento confortado da verdura macia
Preposta de verde iniglalvel
Observava as estrelas distante,
Muito consciente de que tudo fazia
Parte da imensido intocvel
Predisposta no longnquo horizonte.

____________________
DONIZETI SAMPAIO
Zetipoeta
16Jan08


biografia:

Donizeti Sampaio
, codinome 'Zetipoeta', nascido da Boa esperana nafazenda Lajeado, no munico e cidade de Batatais-SP, aos 16 de maio de 1955, filho do Senhor Antonio Sampaio, e da senhora Maria Jose Sampaio, iniciou seus estudos em 1961, vindo a cursar oficialmente o primeiro ano do segundo grau. E extra oficialmente, como auto didaga, tem estudado principalmente literaturfa, poltica, histria, cincias humanas, geografia, fisca, qumica, atualidades, teologia e a bblia ao longo de muitos anos.
Em 1976, ento policial Militar trabalhando no 9BPMM, na Capital do Estado de So Paulo, escreveu o primeiro poema 'Esteio de Familia', homenageando o Pai, e alguns acrsticos homenagean do a me a Policia Militar e Outros.
A partir de 2002 veio beber na fonte das poesias: essa importncia dos poemas Louros da Mocidade, recado da Saudade, Degraus da Existncia, Higienizao Marcante, ticas Escravas, Lar amado, Equvocos Radicais, etc.

zetipoeta@superig.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s