s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Sandra Lucia Bernardelli
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Amizade

Amizade no receber, dar.
No menosprezar, incentivar.
No descrer, crer.

No criticar, apoiar.
No ofender, compreender.
No humilhar, exaltar.

No julgar, defender.
No esquecer, lembrar.
Amizade simplesmente...'AMAR'.

Fazer novas amizades fcil...
Mant-las, cultiv-las, acarici-las no dia a dia que muito difcil.

Isso o que devemos fazer dia aps dia...
Enobrecer os amigos, mostrando o quanto gostamos deles!

No somos infalveis...
E nossos amigos tambm esto sujeitos a erros.

E nessa hora que precisamos perdoar e sermos perdoados, compreender e sermos compreendi-dos...
Essa a verdadeira amizade!

03/09/2005

********************

Amigo... Jia Preciosa.

Amigo...Jia preciosa.
a alma j escolhida e reservada para ns...

Sem conhecermos, sem esperarmos, ele estende suas mos
ofertando de si o que tem de melhor...

Amigo a jia preciosa que Deus nos presenteou para nos auxiliar , clarear nossa mente para que possamos a aprender a sermos mais conscientes ...

Amigo a cano a poesia quando a tristeza insiste ficar...
Amigo a luz do nosso caminhar quando a escurido parece no dissipar...
Amigo o brao forte que nas horas de crises nos faz levantar...

Dividi nosso pranto, festeja as nossas grandes e pequenas vitrias no nos deixando desanimar...

Amigo aquele que mesmo de longe compartilham pequenos momentos de sentimentos...

aquele que no apaga a nossa imagem dos seus pensamentos.
Amigo aquele que nos traz esperana, quando achamos que j no h mais...
Amigo aquele que sabe que a distncia no existe, e que mesmo estando distante,nenhum mor-tal os separam ...

Amigo...
Seja real ou virtual o que doa um minuto apenas do seu tempo de carinho para nos receber, nos visitar,seja fisicamente ou virtualmente.

Amigo...Jia preciosa
So almas j escolhidas e reservadas...
Que esto interligadas pelo o esprito, pela mente e corao...

Est divido entre o espao e o tempo...
Tem o perfume das flores...
Tem o alicerce forte que o amor maior de Deus o edificou.

04/03/2006

************

Da Iluso A Realidade.

O que fiz de mim...?
Minha alma, meu corao virou um trapo humano...
Tantas fantasias, sonhos perdidos...

O que sou hoje...?
Um anjo morto...

Hoje sou algum com o corao vazio despedaado, partido em mil pedaos, que chora, que sofre, mas...

Que felizmente ainda ama...
Que se esfora, que se arrasta tentando se levantar de um tombo terrvel...

Que tem medo, mas que sabe que o ser Magnnimo me acolhe e no me deixa sozinha.

Que fao eu...?
To perdida em meus pensamentos, angustiada arrependida por ter acreditado no irreal...

Em algo que sempre s existiu em minha imaginao frtil.
Idealizei, moldurei uma imagem irreal, fiz dessa imagem de acordo com minhas fantasias.

No fui capaz de pensar...
Fui mais emocional do que racional.

Quais foram os caminhos que tomei...?
Todos eles foram tortuosos, andei em ziguezagues e no cheguei a lugar algum, enfeitei meus ca-minhos de flores e quando cai na real, andava em cacos de vidros.

Hoje somente me questiono e responde as minhas prprias perguntas...

Por que eu confiei...?
Confiei, porque eu achei que pudesse confiar...
Alertas me foram dados, mas tampei meus ouvidos, vedei meus olhos...

Meus ouvidos foram abertos somente para as inverdades e me envergonho porque me deixei enga-nar.

Por que eu enfraqueci...?
Porque pensei que eu fosse forte...
Agora eu sei que no sou...

Sou como todo mundo, frgil, carente, sentimental, emotiva...
Por que no me libertei antes...?
Porque eu sonhei, deixei de ver a realidade...

Sonhar mais suave, tudo florido, tudo azul e branco, a realidade mais dura, tudo mais ver-melho e s vezes mais negro.

Quantas vezes o senhor Deus meu ouviu?
E poucas vezes eu o ouvi...
Poucas vezes eu segui minhas intuies, desprezando-a...

Desprezei a mim mesma...
Hoje o cansao da minha angustia pesa em meus ombros...
Mas hei de me levantar e lutar...

Curarei minhas feridas, me fortalecerei, seguirei por outros caminhos sem me importar com que perdi.

Meus ouvidos estaro abertos, meus olhos estaro atentos...
No deixarei de amar porque essa a minha maior fora...
No sofrerei mais com as decepes do corao...

Meu sorriso ser como o calor do sol ao amanhecer...
Ser brilho das estrelas no anoitecer...

Serei livre como o pssaro, transparente e cristalina como a gua lmpida do rio...

Fincarei os meus na terra sem deixar de sonhar...
Porque ainda o sonho alimenta alma.
Os meus sentimentos sero preservados e respeitados...

Porque todos eles so nobres...
Sei que serei feliz na minha nova jornada...
Porque eu quero ser feliz...
Porque eu mereo ser feliz!

9/9/2005.

biografia:

Sandra Lucia Bernardelli
, nasceu 22 de dezembro de 1956, em Recife PE, Estado conhecido como a Veneza brasileira, infelizmente no tendo ainda a oportunidade de conhec-la. Foi criada em So Paulo - Capital, iniciando seus estudos nesta mesma cidade, viveu em So Paulo at os 44 anos, mudando-se para o Litoral Norte Paulista.

Em 1993 prestou vestibular UNG. UNIVERSIDADE DE GARULHOS, sendo aprovada para cursar o curso de Letras e transferindo-se para o curso de direito, mas no completando o curso. Resolve voltar a estudar esse ano e esta se preparando para vestibular para o curso de letras pela UCB [Universidade Castelo Branco].

Trabalha atualmente na Diretoria de Ensino da Regio de Caraguatatuba no departamento financeiro. Seus textos so publicados nos sites: http://recantodasletras.com.br/ / http://www.dominiocultural.com / www.poetasmortos.com / ww.letraseartes.com.br / http://www.notivaga.com.br

sandraluciabernardelli@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s