s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Gilda Haubert
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
DE FLOR EM FLOR

Acordei hoje com vontade de sorrir
Acordei hoje com vontade de amar
Acordei hoje com vontade de ser flor
Acordei hoje com vontade de viver
Acordei hoje com vontade de ser feliz
Acordei hoje com vontade de ser beija-flor
E voar de flor em flor.
Beijar a rosa por ser a rainha das flores
Beijar o lrio por representar a PAZ
Beijar o amor-perfeito por lembrar voc
Beijar o ar que respiro por lembrar voc
Beijar o Sol que me aquece por lembrar voc
Beijar a chuva que encharca a terra
Beijar minhas lgrimas que encharcam minhalma
E lavam a dor da saudade de voc...

FIM DE TARDE

Cu nublado, esmaecido, cinzento
Acomodo minhas emoes, fecho os olhos
E visito meu interior.
Quero encontrar o sol, sentir seu calor
Quero me inundar de luz
Abrir as portas do corao
Viver desejos escondidos
Mas, oh! surpresa
Minha casa est cinzenta como o cu
Nublada de lgrimas de saudade
E esmaecida, sem cor
O sol foi embora e levou seu calor
Corao apertado, segredos contidos
Perd meu amor...
Fecho minha casa
No sei mais quem sou...

SENTIDO DA VIDA

Deus meu
Quero te fazer uma pergunta:
Por que sou agraciada com teu amor
Em forma de uma casa, cama
E comida quente?
Por que tenho amores
Que me mantm no prumo
Com seu amor?
Por que fao pouco e ganho tanto?
Que fiz para merecer Tua graa
Se nasci igual ao meu irmo pedinte?
Nascemos, ambos, de um momento de amor
Ou de um momento de dio, no importa...
Mas nascemos de um homem e de uma mulher
Que juntaram espermatozides e vulos
Num instante de entrega sexual
Amorosa ou no...
E, morreremos do mesmo jeito
Exalando o ltimo suspiro
Seja numa cama limpa
Cercado de amor e orao
Ou num cho ftido
Prenhe de dio e revolta...
E o espao entre o nascimento e a morte?
Como explicar os caminhos to diversos
Por vezes, to dolorosamente marcados
De filhos teus?
Deus meu
Dizem que a vida luz, eu sei...
Dizem que a morte escurido, no sei...
S quero que me respondas
Onde ests quando a desgraa se abate sobre algum?
Certamente, no ests sorrindo
Serias um hipcrita
Pois pregas a compaixo...
Onde ests
Quando vidas so ceifadas pela fria da Natureza?
Certamente, no ests sorrindo
Serias um dspota
Pois pregas a misericrdia...
Onde ests
Nesse espao entre a vida e a morte
De filhos teus?
Qual o mistrio que se esconde no teu silncio?
A resposta ser to bvia que no a vemos?
Ou no sabemos fazer a pergunta que no tem resposta?
Quem somos ns e quem s TU?
Somos UM se expressando atravs da diversidade?
Somos TU na luz e na escurido?
Somos TU no amor e no dio?
Somos TU na graa e na dor?
Somos TU na alegria e na tristeza?
Seremos TU, meu Deus, a grande e misteriosa resposta?

biografia:
Gilda Haubert
Nascida em Porto Alegre-RS, pedagoga, formada pela Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do Sul [PUCRS], exerce atividade voluntria com crianas carentes em reforo escolar, artes, ministra cursos de arte, participa do coral 'Espao de Som, Pessoa & Arte'.
Participou e foi premiada pela CAPORI e GRMIO LITARRIO CASTRO ALVES, com crnicas e poemas. Participa h 5 edies do concurso Banco Real, Talentos da Maturidade. Participou de Coletnea Literria - Casa do Poeta 40 anos e tambm da Coletnea de Poemas do Mercosul com poesias em espanhol e portugus.
Participa com seus poemas em colunas especializadas de jornais de Porto Alegre-RS.

gprhaubert@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s