s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Vera Sarres Kamp
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

A PROCURA
Vera Sarres

já está endiecendo.
cinza-médio-escuro.
a noite foram obras
faladas, com calor
tiradas das escritas,
entranhas tamanhas
onde pousou a tinta
vermelha da paixão,
caligrafias amarelecidas
desfilaram de fraldas,
calças curtas, com Camões,
da melhor safra, subsistem.
cantaram poemas loucos
declamaram canções gentis
e o céu vira cinza-claro.
procuro meu mentor,
cavalgo em telas mil
atrás do meu cantor.
endieceu azul-pastel.
lá vem o vermelho-paixão
atrás do Morro do Leme
carregado pelo astro-rei.
será que junto trará
aquele meu amor
um tanto esquisito,
desajeitado no trato
alegre no seu jeito?
aquela estrela no dia
caiu. farei um pedido:
traga pra mim por favor,
este amor esquisito.

26/09/2007 - 05:51

PERPLEXIDADE

Vera Sarres

Cobres tua boca com ficção,
finges que é tempestade,
insano furacão que apaga os gestos
do beijo, do sexo, da felicidade.

Agora que surge o motim,
assistes calado, em tropeços,
verdades que são ditas inteiras,
abertas, sem fins nem começos?

Fico a pensar na felicidade,
seu todo, seu tudo e seu tão.
Penso, penso e sempre me perco,
tentando encontrar o meu chão.

31/04/2007

ÁRIA DE UMA MITOLOGIA ATUAL

Os homens são como os pássaros que revoam,
pois livres não pousam, dão apenas rasantes
e em nenhum galho descem; planam, depois voam;
quando presos, ciscam... ciscam, exuberantes.

Homens com coleira, que pena, sinto dó:
são os que mais correm, se largam, e se soltam;
querem ser os reis, ou então um faraó,
ter um harém, coitados, nem porisso voltam.

Queria ser a Safo, e deles me safar
e semelhante às deusas, que eu assim me esboce
nos braços de outro ser, e bote pra quebrar.

Ah se eu vivesse lá e musa também fosse
pra andar como ela, teria que outra virar.
Oh, isso – isso só – já é pra mim um doce!

[Vera Sarres 21.04.2007]

BIOGRAFIA:

Vera Maria Sarres Kamp
, [Vera Sarres], nascida e moradora do Rio de Janeiro, carioca, 60 anos, divorciada, fez dois anos da primeira turma da Faculdade de Relações Internacionais no Rio de Janeiro/1970, interrompeu ao se mudar para Brasília onde não havia na época esta faculdade. E um ano de faculdade de filosofia, no Rio de Janeiro. Morou em Brasília entre 1972 e 1985, quando se formou em Jornalismo pelo CEUB-Brasília/DF, no ano de 1975, hoje UNICEUB, trabalhou na Manchete em Brasília, no Ministério da Fazenda, Assessoria de Comunicação Social, encarregada da área de Economia Política trabalhando, [lendo e selecionando] publicações em todos os melhores jornais do Brasil. Mais tarde trabalhou na Biblioteca do Ministério da Fazenda por seis meses encarregada de montar um Boletim Informativo do Ministério no Rio de Janeiro.
Possui três livros inéditos. Todos ainda se encontram em estado jurássico, ou seja, datilografados. “A Minha Arte Alheia”, que é uma seleção de tudo, frases, textos, ditos etc. de todos os autores que leu, desde 1968.
O segundo é “Eu a Toda Prova”, onde contém uns 285 poemas e ensaios. O terceiro é um “Dicionário de Palavras Cruzadas”.
Hoje aposentada, dedica-se a escrever poemas e crônicas, aos seus escritos antigos, ao laser e saraus que poetizam as noites culturais e boêmias do Rio.
Continua lendo muito, fazendo palavras cruzadas, e anotando palavras mais difíceis.
Faz revisão de textos, em trabalhos acadêmicos, TCCs, poesias e livros em geral.
Participa atualmente dos Sites “Alma de Poeta” este também, como assessora de imprensa, “Recanto das Letras”, onde tem cerca de 60 textos, da Rádio Poesia Mix, de Marcelo Girard, a primeira rádio de poesia na internet e da Oficina de Literatura de Cairo Trindade, ator, escritor, poeta e homenageado “Personalidade Cultural do Rio de Janeiro ano de 2007. E está na antologia “O Labirinto de Espelhos”, da Editora De Leon, publicado em maio de 2007.
Possui também 5 comunidades literárias no orkut, dentre elas destaca-se a de Knut Hamsun.

[como está no Poetas Del Mondo]


BIOGRAFIA

Vera Maria Sarres Kamp, [Vera Sarres], nascida e moradora do Rio de Janeiro, carioca, 60 anos, divorciada, fez dois anos da primeira turma da Faculdade de Relações Internacionais no Rio de Janeiro/1970, e um ano de faculdade de filosofia, no Rio de Janeiro. Morou em Brasília entre 1972 e 1985, quando se formou em Jornalismo pelo CEUB-Brasília/DF, no ano de 1975, hoje UNICEUB. Trabalhou na Manchete em Brasília, no Ministério da Fazenda, Assessoria de Comunicação Social, encarregada da área de Economia Política trabalhando. Mais tarde trabalhou na Biblioteca do Ministério da Fazenda por seis meses encarregada de montar um Boletim Informativo do Ministério no Rio de Janeiro.
Possui três livros inéditos. Todos ainda se encontram em estado jurássico, ou seja, datilografados. \'A Minha Arte Alheia\', que é uma seleção de tudo, frases, textos, ditos etc. de todos os autores que leu, desde 1968.
O segundo é \'Eu a Toda Prova\', que contém 285 poemas, prosas e ensaios. O terceiro é um \'Dicionário de Palavras Cruzadas\'.
Hoje aposentada, dedica-se ao prazer de escrever poemas e crônicas, aos seus escritos antigos, ao lazer e saraus que poetizam as noites culturais e boêmias do Rio.
Continua lendo muito, fazendo palavras cruzadas, e anotando palavras mais difíceis.
Faz revisão de textos, em trabalhos acadêmicos, TCCs, poesias e livros em geral.
Participa atualmente dos Sites \'Alma de Poeta\'; este também como assessora de imprensa, \'Recanto das Letras\' onde tem cerca de 60 textos, da \'Rádio Poesia Mix\' de Marcelo Girard, a primeira rádio de poesia na internet e da \'Oficina de Literatura de Cairo Trindade\', ator, escritor, poeta e homenageado \'Personalidade Cultural do Ano de 2007 do Rio de Janeiro\'. Faz parte da antologia \'O Labirinto de Espelhos\', da Editora De Leon, Maringá/PR publicada em maio de 2007.

vmsarres@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s