s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Mrcio Fernandes Ribeiro
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

AO ACASO [Gúertulo]

Somos um pedaço de qualquer carne,
Sangrenta numa vermelhidão ocre,
A qual oscila entre a vida mental
E a beleza da divina sorte...
Perambulando em ruas opacas,
Sem luzes, sem tetos, no vazio...
No absurdo das encruzilhadas linhas
No ocaso do nada!

Nós somos esse nada imperfeito,
Tão intranqüilo, que a esmo
Somente faz-nos cúmplice dos erros,
Nas dores que povoam um pérfido abismo,
Que oculta um abutre no rosto a encontrar-se
A mercê dos restos e dos desgostos...

Um vazio esquecido tristemente
Na janela da casa ao lado,
Silhueta dum olhar arredio que surge voraz
Entre um amparo e outro que um dia
Jaz no orvalho dum encampado amorfo.

EM SEGUNDOS [Gúertulo]

Queima! Oh, Arco-Íris...
As cores no meu corpo
Alimenta a min’alma
Com a tarde, o teu luar,
Que dói, sufoca,
Perturba, ignora e sua
Na quentura de rachar;
Banha minha pele,
Como em segundos,
Lacrimejando no meu rosto
Esse sacrifício de viver...
Delira! Peito ferido,
Recebe sopros e contrastes,
Pra que distem à pobreza
Que persiste em rondar
Minhas entranhas,
As minhas mãos
E as flores nos jardins.

PAGINAÇÃO [Gúertulo]

Entre as curvas de minhas mãos
seguem escorregadias, a vida duma
alma aturdida em atitudes desmedidas
do meu ser, que tanto aflige, precocemente,
um destino que por ora troveja e alumia

converte a cronologia da panacéia
em ventos explícito na abortada alegria,
tecida nas linhas esculpidas dum amor
entrelaçado nos dedos por condição.

Expelida de mim mesmo, a solidão
me faz herdar um fardo cansado,
denunciado pelos calos e pelos rachões
dos meus pés... Visíveis signos da labuta.

Uma paginação que acumula nos meus
pensamentos devaneios; iras do momento
que perdendo lentamente, nunca os guardo...
Mas, comedido tão-somente temo a morte
que teima de mim aproximar-se rispidamente.

biografia:

Márcio Fernandes Ribeiro
, natural e residente na cidade de Natal/RN, filho de Geraldo Galdino Ribeiro e de Maria Fernandes Ribeiro. Amante dos poemas de Florbela Espanca e de poemas produzidos e musicados pelo paraibano Zé Ramalho, dentre outros autores nordestinos e brasileiros. Alguns dos seus textos vêm assinados por Gúertulo, um dos seus inúmeros pseudônimos. Também é admirador e membro da SPVA/RN.

marcio88fera@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s