s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Lucila NOGUEIRA
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
POEMAS DE ANAIDAMAR

I I

Descobertos no fomos : inventados
antinomia que tirou meu sono
sempreviva na pedra funerria
contemplo as cinzas do que j foi fogo

tua epopia finda no Quixote
que desejou unir armas e letras
tua epopia o tmulo de Lorca
e o cadver de Goya sem cabea

I I I

Palos de la Frontera. Vai, Colombo
disseminar a queda muulmana
e a Granada andaluz canta comigo
a saudade do ndio americano

vem de longe esse banzo de quilombo
da Amrica e da frica gigantes
Palos de La Frontera. Vai, Colombo
Tirar do paraso a liberdade

I V

O ouro americano para as guerras
o ouro americano para as dvidas
tantos anos de lutas e guerrilhas
e canhes e cabrestos e caudilhos

esta virgem de prata insolente
seu brilho um ultraje ao povo ndio
to puro e to ingnuo na floresta
assassinado no colonialismo

V I

Tuas paredes de ouro , Montezuma
Cortez as derreteu e fez-te escravo
mas Colombo voltou encarcerado
Pizarro viu-se ao fim executado

a inocncia de Ado, disse Caminha
no foi maior que a dos colonizados
foi no Amazonas que Lope de Aguirre
sonhou estar vivendo no Eldorado

V I I

E a independncia veio simultnea
do Mxico Provncia de La Plata
Caracas Santiago Buenos Aires :
um destino comum de lngua e ptria

pelas guas do rio Madalena
Bolvar anda em naves de Zapata
Andaluz Andalucia Andalucila
Do Amazonas aos Andes e La Plata

V I I I

Amrica, passaram-se trs sculos
da Igreja de Colombo retomada
Las Casas, de Vitria, Jos Marti
Caneca, Tiradentes : Liberdade

Amrica, teu nome Ayacucho
Europa, onde est Nova Granada ?
Cento e setenta anos se passaram
talvez por isso eu fique emocionada

I X

Desta vez no irei a Santiago
de Ibria, Cuba inversa lorqueana
e o nome de meu pai sobre esta mala
fez-me sentir em casa em terra estranha

desta vez no irei a Santiago
Romn, el de Padrn, reyno d'Hespaa
na lngua portuguesa teve origem
mi destino en la lengua castellana

X X X I

E agora eu vou falar do meu destino
perdido na cano de Andaluzia
e agora eu vou dizer que o meu delrio
a prpria verdade da poesia

imagem do meu povo torturado
sem defesa num cho de nostalgia
Amrica Amrica Amrica
escrevo a histria de tua agonia

X X X I I

A dor tanta que o silncio crime
a angstia desde a fome $3>$3>fsica
Amrica Amrica Amrica

Grito teu nome at romper meus tmpanos

somos brancos e negros somos ndios
na sucesso das vs carnificinas
Atlntico Atlntico Atlntico

tu no separas a minha poesia

X X X I V

Escrevo desde as patas do destino
desde o arcaico animal do meu futuro
escrevo desde a Terra da Utopia
sou o rosto da Alma Americana

sou o rosto da Amrica ferida
venho da catedral subterrnea
$3>$3>de sonho eu sou $3>$3>de bronze
no espelho que responde sem perguntas

biografia:

DADOS BIOBIBLIOGRFICOS ABREVIADOS

LUCILA NOGUEIRA
poeta com vinte livros publicados, crtica, contista , tradutora. e editora.. Publicou os ensaios Ideologia e Forma Literria em Carlos Drummond de Andrade [em 3 edio no ano de 2002], A Lenda de Fernando Pessoa[2003] e tem no prelo O Cordo Encarnado, sua tese de doutorado sobre os livros ' O Co sem Plumas' e ' Morte e Vida Severina' , de Joo Cabral de Melo Neto. professora da Ps-Graduao em Letras e Lingstica da Universidade Federal de Pernambuco, onde vem ensinando as disciplinas Teoria da Poesia, Ideologia e Literatura, Literaturas de Expresso Portuguesa do Sculo XX e Literatura Hispano-americana; na Graduao ensina Literatura Portuguesa [Cadeira do seu Concurso Pblico], Literatura Brasileira, Teoria da Literatura e Lngua Portuguesa [Portugus Instrumental].Tem participado de vrias Bancas de ps-graduao e concursos pblicos em outros Estados , presena constante em congressos e colquios, abordando autores desde o perodo medieval atualidade. Dirige o Seminrio de Estudos Literrios Contemporneos em sua instituio de ensino e Coordenadora Literria da Festa Literria Internacional de Porto de Galinhas-FLIPORTO. Chefiou o Departamento de Letras de 1998 a 1999. Membro da Academia Pernambucana de Letras desde 1992 e scia - correspondente da Academia Brasileira de Filologia, sediada no Rio de Janeiro. Foi Diretora Cultural e de Intercmbio Internacional do Gabinete Portugus de Leitura do Recife, onde editou por sete anos a Revista de Lusofonia Encontro, sobre a qual j promoveu lanamentos nas Universidades de vora, Porto e Complutense de Madri, com apresentao dos professores Francisco Soares, Arnaldo Saraiva e Antonio Maura, respectivamente. membro da Associao Internacional de Lusitanistas, da Associao Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa, da Associao Nacional de Ps-Graduao e Pesquisa em Letras e Lingstica , da Associacin Latino Americana de Estdios Del Discurso e da Associao Brasileira de Estudos Medievais[ABREM]. Pertence ao Conselho Editorial da Associao de Imprensa de Pernambuco e Diretoria Cultural do Sindicato de Escritores Profissionais do mesmo Estado brasileiro. Organiza eventos culturais, destacando-se o II e III Seminrio Internacional de Lusografias, realizados na Universidade Federal de Pernambuco e na de vora, respectivamente nos anos de 1999 e 2000. Integrou a Comisso Artstica na verso inaugural do Prmio de Literatura Brasileira da Portugal Telecom, sendo eleita nos dois anos seguintes para o seu jri nacional; participou igualmente da comisso julgadora do Prmio Binacional Brasil-Argentina em 2005. Est traduzindo para o portugus poetas de lngua espanhola e organiza com o escritor Floriano Martins uma srie de antologias de poesia hispano-americana.Divulgadora em reciprocidade de autores portugueses e brasileiros contemporneos, desenvolve atualmente o projeto ' Tradio e Modernidade em Dalila Pereira da Costa e Luiza Neto Jorge'. Publicou vrios verbetes na Biblos-Enciclopdia Verbo das Literaturas de Lngua Portuguesa, alm de artigos nas revistas Colquio /Letras [Lisboa] Cadernos de Literatura [Coimbra] e Poesia e Crtica [Braslia]. Pertence ao Conselho Editorial da Revista Eletrnica 'Mafu', da Universidade Federal de Santa Catarina e colabora com a revista eletrnica 'Agulha', editada por Floriano Martins e Cludio Willer Prestou Consultoria Editorial Prefeitura do Recife de 1989 a 1992 cumprindo a programao de quarenta livros nesse perodo ; tem editado escritores jovens e/ou inditos, quer alunos de sua Oficina Literria de Poesia e Conto[Coletnea 'baco'] ou alunos do Curso de Letras onde leciona [Coletnea 'Lua de Imen, Lua de Bengala'].Organizou com alunos , professores e colaboradores estrangeiros o livro Saudade de Ins de Castro[2005,Edies Bagao].,o livro POESIA REUNIDA , integrado a projeto PIBIC por ela desenvolvido na Universidade Federal de Pernambuco
junto com o bolsista voluntrio Mrcio de Oliveira e o livro A MUSA ROUBADA de Tereza Tenrio,abordagem de crtica textual e gentica com o aluno Wellington de Melo, estes dois ltimos publicados pela Companhia Editora de Pernambuco em 2007.

luc.nog@terra.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s