s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Pettersen Filho
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

ÀGUA DELASNIEVE:
Por : Pettersen Filho


Minha Poesia é como água
que rompe a nascente
aflora a Terra
e me faz despertar.

Minha Poesia é como a água
que irrompe pelo encanamento
invade a casa
e enche o reservatório.

Minha poesia é como a água
que mata a sede
ensaboa o corpo
e lava minha alma.

Minha Poesia é como a água
que enxágua a roupa
coze o alimento
e escorre pela panela..

Minha poesia é como a água
que me banha na banheira.
Higieniza-me: Utiliza o vaso sanitário,
e na descarga, como veio,
vai embora.

Poesia Inédita, dedicada a Embaixadora da Cultura de oetas Del Mundo no Brasil, Delasnieve Daspet – Site: www.paralerepensar.com.br/antuerpiopf.htm - Publicada originalmente em 07/11/07



**********************************



AMOR À PORTUGUESA:
Por : Pettersen Filho

Eu beijo de Língua
a língua da Portuguesa
mas isso me faz
sentir “mal”.

Aliás,
não sei se me sinto
“mal”, com “l”
ou se me sinto “mau”
com “u”.

Pensando bem
eu me sinto
bem,
meu bem!


Obs: Esta poesia encartou a Exposição “Inconfidente Mineiro – Ilustrações e Poesias” em conjunto com a Mostra “A arte Barroca Portuguesa em Minas Gerais” na Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, em dezembro/2003, embora inédita e jamais publicada na forma de livro.



****************************



FERRUGEM :
Por : Pettersen Filho

Amo tanto a minha mulher
que
se de ferro
Ela fosse
como de ferro
Ela é.
Eu seria ferrugem
como ferrugem eu sou:
Somente para
comê-la.
Somente para
corroê-la.
Somente para tê-la
Somente para sê-la:
Mulher !


Obs: Poesia ainda inédita, não Publicada na forma de Livro, Declamada originalmente no Teatro Alterosa, em Belo Horizonte, 2007, quando do Show dos 25 Anos de Carreira do Compositor/Cantor Paulinho Pedra Azul, dedicada a minha Esposa/Companheira Alexandra Pettersen Forattini.

Biografía:
Antuérpio Pettersen Filho
nasceu em Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais. É um poeta egresso dos tribunais de justiça. Advogado de formação, iniciou sua graduação na Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, vindo a formar-se em Minas Gerais, na Faculdade de Direito do Vale do Rio Doce. Lançado em abril de 2000, quando dos quinhentos anos do descobrimento, o \'Inconfidente Mineiro\', livro de poesias, tão somente, ganhou em 2002 uma versão itinerante, na forma de molduras e painéis conjugando a estética, só possível às ilustrações, aglutinada a concretividade métrica dos seus disformes versos, com os quais passou a fazer exposições: Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, abril/2002; Assembléia Legislativa de Minas Gerais, dez/2003; Galeria Mohangara, Gov. Valadares, março/2004; Câmara Municipal de Uberaba, março/2004; Palácio Administrativo Municipal de Uberlândia, março/2004; e, finalmente, a consagração em Ouro Preto, na Fundação de Arte de Ouro Preto, durante as comemorações da Inconfidência Mineira, abril/2004. Em finais de 2004, ainda, lançou a Obra, de cunho Jurídico, “Processo Penal: O Estado no Banco dos Réus”, que iria transformar de vez a sua visão de vida. Obra de natureza autobiográfica, Antuerpio narra, de maneira densa e crua, todo o seu passamento, desde o ingresso no Serviço Público, afeto a Segurança, até o seu desengajamento e passagem pela prisão. Atualmente, entre uma Palestra e outra, que realiza, Antuérpio é redator-chefe do pequeno Jornal periódico \'Grito Cidadão\', pertencente à ABDIC - Associação Brasileira de Defesa do Indivíduo e da Cidadania, criada como Entidade Civil por ele próprio, onde se dedica à causa humanitária e justicialista, a qual considera que estão inseridos todos os que desejam ardorosamente participar do tempo em que vivem, e testemunham, com protagonismo e realização.




pettersenfilho@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s