s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Sirlei Passolongo
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
'Mulher de Retirante'

Na beira de uma estrada,
Pertinho dum vilarejo.
Uma mulher acenando,
Olhar triste e sorriso meigo.
Parece um lugar distante,
Uma terra esquecida.
L, se v mais morte que vida,
terra que nada tem,
terra de retirante,
No se v homens na lida
Espera a chuva,
A chuva no vem.
Mas de longe se ouve a orao...
Ave-Maria, Amm!

A poucas jardas dali,
Uma mulher na janela,
Olhando fito horizonte
E nessa triste mazela,
Espera a volta do seu homem
Que se foi pra l de ontem - ontem
E seu sorriso, com ele partiu tambm,
Mas de longe se ouve a orao...
Ave-Maria, Amm!

Levado pela esperana,
Roupas velhas na velha mala,
Foi longe tentar a sorte,
Pra seus filhos livrar da morte.
E para trs deixou ela,
Numa triste e v espera;
Como quem v o sonho,
No horizonte daquela janela
Sua boca nada diz,
E se a ela perguntar...
Ainda diz que feliz,
Mas seu olhar tudo fala
Da fome e da saudade
Que seu corao no cala.
Nada na mo, nem um vintm,
Mas de longe se ouve a orao...
Ave-Maria, Amm!

[Sirlei L. Passolongo]

O menino do semforo

Hei!
Olhe o menino que passa
Olhe...
Nem que seja atravs da vidraa

Nas mos um pacote de bala
Nos ps um chinelo gasto
Na boca...uma voz que cala
Segue todos os dias o mesmo rastro

Caminha na multido
Procura um semforo movimentado
Espera vender suas balas
Ganhar um msero trocado
Ningum o v
Ningum percebe
Ele nunca notado
E ele segue...

Segue seu destino ingrato
Sem culpas
Segue sem trato
mais um entre tantas crianas
Sem comida em seu prato
Essa a nossa criana esperana!
Ningum o v
Ningum percebe
Parece rotina de fato

Segue no sol, segue na chuva.
No vero ou no inverno
esse o menino que passa
Olhar triste, sorriso terno.
E ns ficamos aqui
Escondidos atrs da vidraa

[Sirlei L. Passolongo]

Menina do Brasil

Menina do Brasil
Era uma menina linda
Olhos cheios de esperana
Queria pouco da vida
Apenas uma criana

Era uma menina sapeca
Revestida de alegria
S desejava uma boneca
Pra lhe fazer companhia

Era uma menina pura
Sonhava os contos de fadas
Alma cheia de ternura
Ainda brincava de mos dadas

Era menina faceira
Corao doce e apaixonado
S pensava em brincadeira
Vivia num mundo encantado

Era menina to bela
Sorriso cheio de amor
Sonhava ser cinderela
Desabrochava em flor

Era menina da favela
Ps no cho, sonhos na lua
Triste sorte da bela
S queria sair da rua

Era menina de tantos brasis
Filha do serto e da cidade
S queria ser feliz
Num lar sem frio e maldade

Era menina brasileira
Filha da desigualdade
Sonhava pra vida inteira
Apenas a felicidade

Era menina inocente
Acreditava nos homens
E tudo que tinha na mente
Era matar sua fome

Era menina esperana
Continuava a sonhar
S queria ser criana
Sem fome poder brincar

Era menina do noticirio
Vendida por algum dinheiro
Por mais um salafrrio
A um gringo estrangeiro.

, agora, uma menina triste...
[Sirlei L. Passolongo]

biografia:
Sirlei Lima Passolongo
Amo poesias, e umas razes de escrever gritar as injustias sociais do mundo!

sirleipassolongo@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s