s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Srgio Antonio Meneghetti
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
PAZ

Quantas lgrimas a rolar
Neste mar sem trguas
O sofrimento de um pai
Acariciando seu filho.

Pelo amor divino
Deus meu pai
Salve o pequenino
Que mesmo com suas provas, ainda um menino.

Tanta pobreza e desconforto
Pior que a dor do aborto
ver o filho sofrer
Ou o filho morto.

Oh guerra!
Que desgraa vs encerra
Na vida das pessoas
E na vida na terra.

Com o corao gelado
Homens desalmados lanam o terror
Aonde poderia existir alegria
Hoje s existe a dor.

Que a populao rechaa todo o mal
O mal de todos os tempos
Que a tempestade e o vento
Consuma a desgraa e todo seu arsenal.

A terra tem que ser pacifica
Lutando apenas contra a incompreenso
Daqueles que no tem amor
Somente dio no corao.

Que hoje ocorra o levante
E que neste momento de dor
Que os pacificadores levem a todo mundo
A paz a harmonia e o amor.

Somente uma unio
Um gesto profundo
Far restaurar a vida nova
Enfim a paz no mundo.

Sergio Antonio Meneghetti 01/04/03
Ter ou viver

Quando abrimos os olhos pela primeira vez, temos apenas ns mesmos, porque na verdade ainda no temos o poder de ter.

Quando os olhos se fecharem pela ltima vez, sabemos que nada temos a no ser ns mesmos, porque a percebemos que no temos o que pensamos ter.

Entramos e samos da vida com a iluso de possuir algo, e que quanto mais possuirmos maiores seremos, somente acordamos quando a iluso de possuir acaba com a perda das coisas aparentemente interminveis.

Nada possumos nesta escola chamada vida, mas o no possuir no diminui o ser, pelo contrario, quanto maior for esta conscincia melhor seremos.

O ser tem que 'ser' acima de querer ter, e o 'ser' s se consegue quando este faz de sua vida o 'viver', e viver no apenas existir.

Viver conhecer o que a vida oferece, tanto tristezas como alegria, tanto cansao como descanso, tanto a dor como o amor, tanto o inimigo como o amigo, tanto a pobreza como a riqueza, assim como a morte e a vida.

No deixe a vida te conduzir, antes seja o condutor desta.

S a vida verdadeiramente tua, presente maior da criao, e que o importante 'ser'.

No fique na sombra da vida descansando ou esperando os acontecimentos vir ao teu encontro, seja voc a luz de tua vida, vivenciando a cada minuto com amor e coragem.

Esta tua existncia poder ser acompanhada de duas coisas; conhecimento adquirido na luta e a amizade pura das pessoas que estiveram presente enquanto lutava.

O mais importante no 'ter' para viver e sim viver para 'ser'.

SERGIO ANTONIO MENEGHETTI 20/02/04

O Amigo

O amigo no cobra
Antes se desdobra
No cria iluso
Antes a verdade pura de corao.

Est sempre pronto
No se afasta nem na tristeza
Ele promove o reencontro
Ele a pura certeza.

Nunca deixa de amparar
Mesmo que no esteja
Nele podemos confiar
Ele acima de tudo puro amar.

Que possamos merecer
Ou at surpreender
O amigo leal
Pois a nossa e ideal.

O verdadeiro amigo nos conduz
Na alegria ou na tristeza
Na doura ou na aspereza
Pois pela amizade, Ele foi cruz.

Sergio Antonio Meneghetti 24/09/02

biografia:

O Srgio Antonio Meneghetti
, nascido em 12/04/1959, casado, pai de 3 filhos, natural de Pindorama estado de So Paulo, na Polibrasil desde 1986, trabalha na rea de Desenvolvimento de Produto da Unidade de Compostos em Mau [ atual Basell em Pindamonhangaba ], comeou a escrever e desenhar algumas coisas desde 1990, sempre voltados para a espiritualidade e a melhora do ser humano.

Como o mundo da escrita sempre o fascinou, Srgio continuou seu projeto e, em 2001, nasceu o seu primeiro poema, 'A Escrita'.

Desde ento no parou mais! Em 2001, quando foi lanada a campanha 'A Cano que nos Une', l estava o Srgio, com o poema POLIBRASIL, transformado em cano, que conseguiu a 3. Colocao na Unidade de Mau. Em 2002, o poema 'A Escrita' foi levado ao ar num programa da Rdio Mundial, por uma amiga que l trabalhava. Depois, j em 2003, durante a inaugurao da nova Unidade Spheripol de Mau, ele conseguiu que chegasse s mos do Presidente Lula, o poema 'FOME ZERO'. O Senhor Presidente leu, gostou e mandou uma carta de agradecimento pela declarao de apoio em forma de poesia.

Toda essa fase potica do Srgio est sintetizada no trabalho 'O Comeo', escrito em 18 de novembro de 2003. Perguntamos ao Srgio o que o motiva a escrever e ele respondeu: 'A MINHA INTENO MAIOR QUE AS PESSOAS, DE ALGUMA FORMA, APROVEITEM DO CONTEDO DE CADA POEMA TORNANDO SUAS VIDAS UM POUCO MELHOR'.
[Referncias acima feitas pela Polibrasil]

- Agradecimento da Presidncia da Republica pelo poema 'Fome Zero' - 2003.

- Agradecimento da Unidade Jardim Pueri Domus pelo poema 'Paz' - 2003.

- Destaque do ms na Polibrasil - Dezembro - 2003

- Participao da 'Antologia de Poetas Brasileiros Contemporneos' vol. 5 com a obra
'Fome Zero' 2004.

- Consagrado com trs poemas no site 'Vz Di Studanti' do pas Cabo Verde, so eles:
'Fome Zero', 'Liberdade', 'Ter ou Viver', 2004.

- Agradecimento do Instituto Ayrton Senna [em nome de Viviane Senna] pelo poema 'Corrida da Vida' - 2004.

- Publicao na 'Revista do Sindicato dos Qumicos do ABC' poemas: 'Fome Zero' e 'Paz' - 2004.

- Agradecimento do Gabinete da Presidncia da Republica pelo poema 'Levanta Gigante' - 2005.

- Participao na Antologia da II Olimpada Cultural - '500 Anos da Lngua Portuguesa no Brasil' com o poema consagrado 'Gota Azul do Universo' lanamento 2005.

- Consagrao no 'Livro de Ouro da Poesia Brasileira Contempornea' lanamento 2005.

- J circulam vrios poemas pela Internet, presentes tambm em alguns Sites e Blog's.

- Agradecimento da rdio Nova Brasil FM pelo poema 'Rdio' - 2005.

- Publicao na STOP a Destruio do Mundo [ONG internacional] pelo poema 'Levanta Gigante', jornal 2005.

- Publicao na SITA-Sociedade Internacional de Trilogia Analtica pelo poema 'Levanta Gigante', 2005.

- Participao no Caf Cultural promovido pelo SESI Santo Andr com o poema 'Independncia e Vida' - 2005.

- Consagrao na 'IV Seletiva de Poesia, Contos e Crnicas de Barra Bonita' com o poema 'Levanta Gigante' - 2005.

- Agradecimentos da Presidncia do 'Grupo Suzano' David Feffer, poema 'Suzano Petroqumica' - 2005.

- Aprovao para publicao do livro infantil 'O Cavalinho Dourado' pela Editora Nobel - 2005.

- Agradecimentos do grupo 'Doutores da Alegria' pelo poema 'Doutores da Alegria' - 2005.

- Consagrao no 'Panorama Literrio 2005/2006' com poema 'Paz', Dezembro 2005, obra com 100 poemas selecionados entre 6.500 inscritos de varias seletivas.

- Consagrao na antologia 'Novos Poetas, Novos Talentos', com o poema 'Um Dedo Apenas' e '60 Anos' pelo Mar de Idias Editora Ltda - 2006.

- Agradecimentos da Presidncia mundial da 'Basell Polyolefins' pelo CEO Volker Trautz, poema 'Basell' - 2006.

- At o momento so mais de 150 poemas, outros livros em andamento.

- Convidado a participar no link 'Literatura' com vrios poemas pelo site mais completo do Vale do Paraba www.pindavale.com.br de Pindamonhangaba - 2006.

- Agradecimento do Santurio Nacional de Aparecida pelo poema 'Senhora de Todos', e outros - 2006.

- Participao na Antologia da III Olimpada Cultural - '500 Anos da Lngua Portuguesa no Brasil' com o poema consagrado 'Dia de Aniversrio' - 2006.

- Consagrao na Antologia 'Poetas do Brasil' organizado pela Arte Bahia com o poema 'A Escrita' - 2006.

- 4 Concurso Literrio de Contos e Poesias poema 'Apenas Vejo' organizado pela editora Guemanisse - 2007.

- Participao no jornal 'Estado' com o artigo 'Evitando Desperdcio' [espao do leitor] - 2007.

- Colaborao no folder sobre Ecologia da Basell Polyolefins com o artigo 'Evitando Desperdcio' e o poema 'Ns Somos' - 2007.

- Publicao no 'Jornal da Cidade' Pindamonhangaba, poema 'O Amigo' e homenagens ao 'Dia do Trabalho' - 2007.

sergio.meneghetti@basell.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s