s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Salete Cardozo Cochinsky
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
OUTRA VEZ

Tenho fome, tenho sede.
Tenho saudades, verdades
que no posso alcanar
desvelar e lhe entregar.

Tantas letras, piruetas
com ou sem nexo ou rima
podem ser a obra-prima
da linguagem que anima.

Conhecer um prazer
que o tempo impiedoso alinha
com as dores do saber,
do inslito, do dito e feito.

Recorro a minha coragem,
ddivas em uma bagagem
para saciar meus desejos
de expressar s quero o bem.

Aos amigos e companheiros
Que escrevem e atentos lem
o movimento, crescer,
AMAR & MULTIPLICAR
DIVIDIR & ACRESCENTAR
DIMINUIR A IGNORNCIA
PROPAGANDO A PAZ COM LETRAS.

FELIZ 2007 PARA ESCRITORES E LEITORES

EM TRNSITO

O humano transita
descobre vielas.
Cruza encruzilhadas,
maltratadas.

Transita via vo,
por lugares nos ares
seguindo os radares
sobre terra e mares.

Transita nas ruas
usa as pernas suas.
Caladas com e sem fama
limpa ou cobertas de lama.

Coberta em chamas
de amor e paixo.
Transita no palco
de seu corao.

Transita em idias
em pensamentos e aes
transportam vages,
escrevem canes

Trnsito caminho
com calor e cor
com ou sem temor
surrealistas amores.

EN EL CAMINO

El humano transita
El descubre las callejas.
cruza las travesas,
maltratada.

Transita en la va vuelo,
Pelos lugares en los aires
siguiendo los radares
sobre la tierra y mares.

En las calles
usa las piernas sus.
Las aceras con o sin la fama
limpia o cubierta con el lama.

Cubierta en los fuegos
de amor y pasin.
Transita en el palco
de corazn del .

Transita en las ideas
en los pensamientos y acciones
ellos transportan los vagones,
ellos escriben las canciones

El camino la pasaje
con el calor y color
con o sin el miedo
los surrealistas amores.

Traducido pela autora Salete Cardozo Cochinsky

Porto Alegre, 27de Setembro de 2006


SEMPRE FIGURADA

Uma histria,
uma vida,
de emprendimento,
dor e entrega.
O amor vivido
sem distino.
Cad o irmo?
Um traidor,
vindo do nada
ou programada
sua misso.
Cad o irmo?
No de sangue
no de raa,
no de graa
tua iluso.
Cad o irmo?
Na humildade
serenidade...
Iluminada,
vida virada
por compaixo.
Ponto de partida
de chegadas despedidas.
Paixo pregada
ao p da escada
de cada trilha
em todo o asfalto.
Cad o irmo?
Bem l do alto
na cruz suspira
outra vez ira!
Cad o irmo?
Que te entrega
por pocas moedas
por muitas quedas
por solido.
Cad o irmo?
Naquela vida,
vida de hoje,
de ontem foi
um amanh
que agora.
AMOR E PAIXO
em todo o tempo
REDENO!

ESTAMOS AQUI.

O desconhecido assusta
deixa em pnico e pe em fuga,
uma tentativa em vo
pois est no corao
O segredo de:
suportar;
enfrentar;
se apropriar;
resolver,
o que o grito faz calar.
O grito uma soluo,
mesmo sem voz, s no olhar,
nas expresses de terror.
Sempre h algum atento
como ns neste momento,
que prontos a amparar:
O que sente medo ao perceber:
viso de cruis realidades;
saudade sem esperana;
solido e seu vazio.
O frio que congela o grito
denunciando o infinito
lugar que se pode estar.
VIVER
&
AMAR

*****************************

OS NS DA LEI

Primeiro tempo

Alguma fonte te deu
vida em corpo, sensaes
e a agora que ests no mundo
hs de encontrar teu caminho.

Segundo tempo

Olha em volta, escuta e sente,
quer presena e semelhana,
toca, compara, encontra, mas no se rende
evidncias de espelhos em outros que surpreendem.

Terceiro Tempo

Nem s, nem mais confundido
com mais um, ou outros tantos.
H que encontrar teu lugar
conjugando o verbo ser.

***************************

PEQUENO HUMANO

Quero ser reconhecido,
admirado e amado.
sangue correndo nas veias
Irrigando o corpo alerto,
pleno de vida e bem belo.

Sentimento universal,
do humano em de toda raa
mesmo vivendo a desgraa
desejando o amanhecer, dia todo ao entardecer,
para contar a sua histria.
E refazer sua glria.

Quero ver os raios do sol,
dormir e acordar com chuva,
olhar para os semelhantes.
Sentir os contatos em sabores,
fazer dos sons melodias...

Viver a infinidade,
ser etreo y difano,
intocvel para os fatos,
que no sejam de amor...
Oh pequena humana sou!

biografia:
Salete Cardozo Cochinsky

Psicloga/psicanalista que encontra na poesia um meio para ultrapassar as barreiras do espao fsico utilizando a tecnologia como bem para levar ao mundo mensagens e valores biopsicosocias que promovam a PAZ E A HARMONIA, A PROSPERIDADE E A SOLIDARIEDADE ENTRE OS POVOS,sem qualquer distino.
Reside em Porto Alegre - RS -Brasil

scochinsky@brturbo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s