s
s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Evaldo da Veiga
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
'MEU AMOR TO DIFERENTE'

Evaldo da Veiga

Meu amor to diferente, to oposto,
to distante do amor dessa gente.

To meigo , to junto, to contente...

As vezes penso que no sou daqui.

Que estou aqui porque tenho amor,
um amor suave, coladinho, independente...

Um amor que surgiu to de repente, to
passado, to presente...

To vital, to ausente...

Que a razo do meu ser, do viver.

Os motivos dos meus passos, dos descompassos,
do andar centrado e dbil tambm.

O meu corao se mantm sereno,
pode vir ruptura, porque meu amor amor,
o inverso da loucura.

a brandura do vento que toca,
a saudade que
envolve, o amor dos dois juntos,
a fuga da solido.

Ele um amor banal sem nada de material,
busca o afeto na mulher simples
e de propsito verdadeiro.

Um amor que eu sinto perdidamente,
to diferente de toda essa gente,
no olhar profundo, numa frase no dita,
mas sentida no abrao confuso,
no beijo verdadeiro.

Que fez esse amor to desejado,
esse amor pra frente e quadrado,
que evolui e contempla,
que cala e que grita, que d e evita,
mas um amor... eu sei, diferente...

To oposto, ao de toda essa gente!

RECADO DE AMOR

Evaldo da Veiga

Feche os olhos e sonhe
Sonhe tambm acordada
Sonhe sempre, o que vale
E se me permite pedir
Escute o meu canto mesmo distante
No eco do som que no posso cantar
Nem sei se pra pior
Quem sabe para melhor
Minha voz calou pra dizer no habitual
S falo na linguagem da alma
quela que no sabe e no pode mentir
Dizer com fala j no posso dizer
Mas pra que
Se o amor tambm existe no verdadeiro silncio
-me dado o direito de te acordar
Mesmo a distncia
Acordar da realidade tristonha
E contigo mergulhar em sonhos
Somente em sonhos existe realidade feliz
Sentiremos o Sol, a Lua
E com eles vamos procurar
E encontraremos nosso Diamante
O que de verdadeiro e eterno existe
Esculpindo o nosso amor

OI AMOR, HORA DE IR

Evaldo da Veiga

Boa noite
O tempo me diz
Depois quem sabe
Um tempo maior
Pra viver um sonho
No momento s

Vida assim
Um breve tempo
S se vive o agora
Se ele se vai
O tempo partiu
Quebrou o Cristal

No se recompe
O Cristal e o amor
S se faz o amor
No tempo do amor
Sem amor o vazio
Inexiste at iluso

S o amor, somente
Consumado no tempo
Sendo o que tinha de ser
Amor fazendo o tempo
S no agora, somente
O amanh vir depois.

biografia:
Evaldo da Veiga


Sou advogado e fui Professor do ensino mdio.

Escrevo no Recanto das Letras e tenho 260 mil leituras.
J vendi direitos autorais de seis livros e agora registrei um em meu nome e tento publicar.

evaldo.veiga@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s