s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Antonio Virgilio de Andrade
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
SONETO JUVENTUDE

Fiquei feliz quando fiz quinze anos
Parecia que meu mundo iria desabar
Para abrandar vindouros desenganos
Ganhei loo e creme de barbear.

Com a chegada desses novos dias
Descobri que a idade difcil de se tolerar
Estou sozinho, minhas noites so to frias
E nada de um novo janeiro chegar.

Todos me dizem que nesta fase no devo me precipitar
Que vir e terei incontveis primaveras para amar e ficar
Esto; tudo o que um dia no foi, em mim, em ti, ser.

uma angstia uma eternidade um sofrimento.
Mas o eterno azedume deste meu lamento
Tal qual noite aps o dia, um dia... passar.

* * * * *

PR-DICADO

Permanea desligado, computador:
No compute
No conecte
Pois no quero computar
Minha dor.
Permanea deixado, sofredor:
No tolere
No curta
No queira sofrer
Minha dor.
Permanea mudo, despertador:
No desperte
No pondere
Pois no desejo despertar
Minha dor.
Permanea insensvel, sonhador:
No divague
No delire
No queira sonhar
Minha dor.
Permanea surdo, ouvidor:
No me oua
No quero saber
No quero falar
No quero revelar
No quero denunciar
Minha dor.

* * * * *

MUSA DO PECADO

Faz de conta,

Faz de conta que sou poeta
Que escrevo versos no teu corao
Que me fiz luz dos teus dias
Que me fiz sorriso nos teus lbios
Que sou da tua felicidade, iluso.

Faz de conta, faz de conta.

Faz de conta que descobri os segredos da tua alma
Que tenho o manual doprazer
Que desperto em ti o mais ntimo desejo
Que fao tua carne de amor delirar
Que sou a razo do teu viver.

Faz de conta, faz de conta.

Faz de conta que este poema no tem fim
Que o fogo dessa paixo nunca vai findar
Que nosso caso um caso sem soluo
Que vivemos a bonana do eterno janeiro
Que as guas de maro no vo chegar.

Faz de conta, faz de conta.

Mas se voc quiser me dominar
E fazer tudo do seu prprio jeito
Por favor, no me mande recados
Inverta a rotina de nossos papis
Crave suas garras no meu peito:
E me faa pecar seus pecados.

biografia:

Antonio Virgilio de Andrade
, Poeta e Escritor Pernambucano, radicado no Riacho Fundo - DF, tm se destacado pela simplicidade, objetividade e irreverncia de sua obra e uma marcante participao em movimentos literrios de diversos pases latinos americano. Antonio Virgilio, cuja participao potica, contempla uma linha pessoal que navega doconcreto ao cotidiano para descortinar mundos abstratos, tem um fino sentido do sarcasmo e forte dose de ironia em sua maneira especial em lidar com o sentido das palavras. Si por um momento sua poesia tem a geometria da estrofe e o rigor da rima, de outros, o verso livre, genioso, romntico e de fugaz erotismo.

Em sua promissora carreira literria, foi selecionado pelo Painel Brasileiro de Novos Talentos para figurar no CATLOGO BRASILEIRO DE POESIA CONTEMPORNEA Recebeu meno honrosa do Centro Cultural de Aricanduva - So Paulo, e selecionado pela Associao dos Cegos e Ambliopes de Portugal - ACAPO; para compor o acervo de obras publicadas em braile.

BIBLIOGRAFIA:
Coletnea Potica: RASTILHO DE PROSAS; ADOLESCER DOS GIRASIS; FRACTALS; ANDRADE's POTICA GENEAL ANTOLOGIA.

Antologias Potica: TERRAS LUSADAS.
Contos: CAADA A PIRA-BRASILIA; AGUA RASA NO RIACHO FUNDO; O PRNCIPE QUE CAIU DO CU.
Crnicas: CRNICAS DO COTIDIANO E DO ABSURDO, e
o Romance: OINOTNA, O LIMO ERMITO.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s