s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Marcos Milhazes [Cnsul de Araruama - RJ]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
O Bar dos Sentimentos

Se voc me disser que me amas,
acreditarei,
apenas pedirei para me servir
uma dose dupla desse sentimento.
Se voc falar de saudades vou crer,
apenas pedirei a dose certa
para que eu continue sbrio.
Se voc disser que para me ver faz milagres,
serei religioso ou devoto,
mas, apenas pedirei
que me sirvas uma dose cmplice.
Se voc me disser que a vida,
no tem cor sem mim,acreditarei,
mas lhe pedirei para me servir
uma dose de matizes.
Se voc fala que perde a voz ao me ouvir,
vou as alturas para escut-la,
porm te pedirei uma dose de razo.
Se voc disser que sua paixo
por mim imensurvel,
vou sentir-me nas nuvens,
mas vou querer uma dose sem medidas.
Enfim.
Se voc disser
que ser eternamente minha,
vou crer, mas lhe pedirei
uma dose de pressgio.
J que depois de tantos tragos,
estarei brio,
e inebriado de voc.


Marcos Milhazes***

LENDAS

Como um astro estrela
brilhando chegaste,
lmpida em meu lago.
Pura, trouxe-me a sua brancura.
Clida deste-me sua boca.
Sem se apresentar,
entraste em meus sonhos.

Histrias, contadas pelos olhos
que v de uma janela,
a magia do farol da Lua..

Como a da cano
que se eleva ao mximo
com suas claves,
para tocar um corao.

Mos aflitas atiradas ao ventos
ao encontro do desconhecido.
Adormecido encontrava-se.
Faminto pelo cheiro de sentimentos.
Vadio co das ruas sossegadas,
por ela tu passeavas.

Vestida de brisa leve
Eterna como o amor, aproximaste
Deslumbrado, tosco e arredio,
l estava aquele,
aquele corao...

Intrpido valente,
ante o perigo maior.
Guerreiro de tantas lutas suadas,
ferido, ainda sangrando em vertentes,
temente pela prpria sorte.
Entregou-se naquela batalha,
vencedora...

E sem ao menos ela tivesse tal conhecimento.
Ali, jazia!
O momento maior de uma guerra
desarmada.

Palavras deformadas pela mo do poeta
Ou, pela fora da imaginao de um escrito.
Deram as mos e seguiram passos afora.
Sem se importarem com o barulho do mundo

Vencido e vencedora,
entregaram-se paz solene.
E o corpo,
cravado de amor,ali jaz, feliz.
Nas mos de sua algoz...

Marcos Milhazes***



O Poeta ao contrrio

Quando a inspirao
falha e a mente no anda
hora de seguir uma viagem estranha.

Contrapor-se ao oposto,
apostar nas prximas linhas.
Deixar que a imaginao ande,
numa simples gota da chuva
ou lgrima de criana.

Os beijos e abraos de pais,
namorados, amigos ou amantes.
Na poesia so como diamantes
Coisas nobres e cintilantes

Porm a vida tambm cansa
Pois nada eterno
Como a noite que morre
e o dia que nasce
A garrafa que serve
boca que esvazia
Tudo serventia

J meio fraco e debilitado o escrevedor
puxa seu companheiro cigarro
Toma um gole de sua amiga caipirinha.

Mgicas so as rimas e mistrios
da vida.
Comea a sua viagem ao inverso
Pensa que faz as derradeiras
estrofes de momento
E como todo o poeta puro de sentimento.

Nem percebeu que j virou testamento...

Marcos Milhazes***

Biografia

--------------------------------------------------------------------------------

Sou, Marcos Milhazes, formado em Cincias Contbeis, Msico percursionista, Tcnico em Merchandising, Escritor e Poeta amador ou um escrevedor.
Perteno famlia tradicional da Bahia [Magalhes Milhazes].
Muitos com dons e sensibilidade de artista. Entre eles: Mrcia Milhazes [Bailarina], Beatriz Milhazes [artes plsticas de nome internacional e com vrios prmios do Museu de Belas Artes.
Gosto de escrever desde os 8 anos, mas fiquei adormecido por 25 anos e me encantei com o mundo da informtica que me possibilitou dar vida aos meus escritos.
Como Escritor e poeta amador tenho um livro fechado. ' A Cidade dos Olhos Claros' e diversas participaes em portais nacionais e internacionais.
Voc poder conhecer algumas de minhas obras e participaes visitando o meu site fundado no ano de 2000: www.milhasdeamor.com.br
A poesia no tem idade na prosa e nem no autor. Se nova, vaidosa e se antiga sabia.
Pensado assim deixo uma citao para o mundo:
' Aprendi ainda novo com as guas tempestuosas. Que em rios de correntezas galhos velhos procuram as margens'
[M.Milhazes]

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s