s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Helena Bandeira
Nacionalidad:
Portugal
E-mail:
Biografia
DIFERENAS?!..

Qando se manifesta indiferena
por toda e qualquer diferena,
isso discriminao...

Quando claramente se mostra crueza
com rudes atitudes de frieza,
isso j marginalizao...

S porque um negro
e o outro branco,
s porque um negro
e o outro amarelo,
para discriminar no h razo!

A maior valia est no respectivo corao.

Quando o corao franco,
quando a sua interioridade
faz jus sua dignidade,

quando difana a sua essncia
quando h paz na sua conscincia,

quando luta pela concrdia,
pela harmonia,
pela simetria
e no seu coraoh misericrdia,

no a cor da pele que o classifica
mas sim a atitude que o identifica...

E no s quanto ao racismo
que a vileza se insurge.

A irreverncia logo surge
para revelar inconformismo
perante toda e qualquer diferena!

Diferenas fsicas ou intelectuais,
diferenas de crenas ou de ideais...

Tudo que seja diferente para discriminar!

Separam-se os 'diferentes'
como pacotes,
para se fazerem lotes,
com os labus inerentes!...

mais difcil ajudar do que marginalizar!...

Ser a humanidade que se adapta sociedade,
ou a sociedade que avilta a humanidade?

Onde est a igualdade?
Onde est a fraternidade?

Onde est a poro divina que o Homem contem?
Onde estar o padro de igualdade,
o dom da generosidade que o Homem j no detm?!...

Resta-nos ADVERTIR
os INDIFERENTES.
AJUDAR A PROGREDIR
os que so 'DIFERENTES'!...

O AMOR CONTRA A GUERRA

Amar, amar muito!
Amar muito, amar demais...
Mas sem fazer do amor um mito!

Amar tudo e todos que esto nossa volta.
Apaziguando assim a nossa alma
e muitas, muitas vezes, a nossa dor...
S assim a nossa vida ganhar calma,
para dar paz e compreenso seja a quem for...

E com tal condimento
nossa alma ganhar alimento...
Nosso ser se tranquilizar
e no mais se martirizar!...

E o nosso eu...
O nosso eu... assim, livre, despertado,
sereno, liberto e libertado,
voluntariamente, nossa essncia voltar...

Um eu mais humanizado,
um eu mais harmonizado,
que sem pudor se desnuda e soltar!...

Teramos, ento, o amor e a paz na terra...

E... se tu, eu, ele e toda a humanidade
assim quisesse
e assim fizesse...
Nasceria ento a quietude e a liberdade...

Porque venceramos desse modo o horror,
a desgraa, a barbrie e o terror

do CANCRO ATERRADOR
que a A GUERRA!...

A HUMANIDADE EST EMPOBRECENDO..

A lealdade do co
vai directa para o seu dono.
Esse mesmo co
luta com o independente gato
que persegue o esperto rato...
Sempre haver lutas desiguais
entre todos os animais...
Poder no estar vista
um objectivo para a luta,
mas os instintos de disputa
em todos os casos so iguais.
No gnero humano no difere.
Por nfimas diferenas,
geram-se desavenas...
No interessa quem se fere!
Fomentam-se duras guerras
pela defesa de ideais ou de terras...
So lutas entre cidados,
entre homens, todos irmos...
Disputas no seio das famlias
sem respeito, nem por homilias...
a insnia
e a ganncia.
a incongruncia
do ser definido por humano,
mas que muito tem de profano,
e que, por refinada inconscincia,
manifesta e exerce sem pejo
a sua ferocidade,
a sua perversidade,
sempre para isso urdindo ensejo...
o homem contra o homem,
seu semelhante, seu igal,
insistindo com crueldade
em querelas vazias e desconexas,
por vezes sem termo e sem limite,
mas sempre cruis e complexas.
o homem, dito 'ser racional,'
que comete e desenvolve baixezas
com todo o -vontade...
Que com grande naturalidade
desce a inominveis profundezas
onde talvez no desa o 'irracional'!
O Homem nasceu para crescer.
Para seu corpo e esprito engrandecer
como um ser harmonioso e impoluto.
Mas neste mundo insano e corrupto
se muito cresce,
mais ainda desce...
O Homem que no se enobrece,
a prpria Humanidade empobrece!
Porque desconhece a clemncia,
desdenha da benevolncia
e jamais cultivou o Amor!

Desvirtua o gnero humano
ao se tornar desumano...

ENVERGONHA E ATRAIOA
O SEU CRIADOR!...

biografia:

Sou escritora amadora.

Publiquei em OUT.05 um livro de Poesia - 'Crepsculo da gua' que foi uito bem recebido pela crtica e pelo
pblico.

Tenho j na Editora trabalhos
para uma prxima publicao e
muitos outros em espera.

Recebi 3 prmios e 2 Menes
Honrosas com os 5 trabalhos
- poesia e prosa que apresentei num concurso dos
C.T.T-

Integro o CNAP-Crculo Nacional de Arte e Poesia e
Tertlia Potica 'Ao Encontro
de Bocage', em cujos jornais e Antologias colaboro.

Acabei de aceitar um convite
para participar na 'Antologia
de Escritores Brasileiros', na qualidade de
autora convidada.

Tenho trabalhos publicados no
site brasileiro www.recantodasletras.com.br

Tenho um blog prprio

http://www.blog.comunidades.net/lilito

.

lilito@clix.pt

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s