s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Clevane Pessoa de Arajo Lopes
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

MULHER[ES]

Mulher menina,
mulher felina,
mulher de malandro,
mulher de escafandro,
camioneira, lavadeira,copeira
garçonete,femme, fêmea,
woman,cientista,ilusionista,
lavradora,pintora, professora...
Mulher apenas, fruto de penas,
falenas,grandes ou pequenas...
Mulheres intuitivas,
mulheres esquivas,
atiradas, sobrecarregadas,
apaixonadas, bem
e mal-amadas...
Transparentes, intransigentes,
ardentes,inconseqüëntes,
tortas e direitas, certas
e erradas,
sempre valentes,
mesmo se parecem acovardadas...
Mulheres loucas, nlouquecidas,
redentoras, redimidas, provedoras,
analfabetas, doutoras
donas de casa, donas de nada,
patroas e empregadas,
mucamas ou sinhás no tempo antigo,
balconistas, artistas,
executivas,executadas,
livres e aprisionadas,
vítimas e agressoras,
agressivas, esquivas,
tímidas e rapaces,
pessoas com necessidades de enlaces,
pessoas fugindo da raia,
voando, se libertando,
chegando, partindo...Ah que lindo ser MULHER,
todas mulheres em MIM
gritam sonâncias, relembranças, momentos,
emprestam suas vivências,
sussurram segredos,
explicam receitas,
sangram, riem ou choram...
Tenho um átimo de cada mulher
do Mundo nas minha feições,
na minha alminha,
essa adulta sempre menina,
essa criança sempre madura,
erotíssima e tão pura...
Todas cantam e choram em meu self,
pois todas nós estamos nas demais
em traços infinitesimais
-e nenhum homem parece
entender a prece
que em uníssono entoamos
umas pelas outras, sempr...

>>>***<<<

A Natureza e os sons...

[excertos]

Canta a Natureza, sim, nos sons
dos ventos, das brisas e até dos ciclones,
no rugido dos mares nas tempestade e sem elas
no resfolegar erótico e rouco
de quando se arrasta pelas areias
ou tem embates com as rochas
que escarpa , esfregando-se,modelando...
Nos sussurros das folhas presas nos galhos,
virgens a querer libertar-se, mas tendo
que esperar o tempo certo
[a não ser que uma intempérie aconteça
e as arranque, brutalmente...],
a Natureza espressa-se...
Canta canções estranhas, que similares
a uivos de lobos , respondem
a chamados que não podemos escutar...
Murmura encantamentos,
nos fundos dos riachos,
ao polir os seixos rolados,
em milênios de configuração secreta...
A Natureza chora,
dentro dos lençois d´água que refrescam
o útero de forças telúricas, mas quer
conhecer a superfície negada...
Às vezes chora sem lágrimas, nas ecas devastadoras,
nos incêndios que devoram
suas verdes expressões, seus animais
seu musgos e a vida efêmera mas necessária dos insetos...
A Natureza gargalha, quando vence e avança apesar de...
Há sons inaudíveis entre os elementais,
que não podemos decodificar...
Há tantos encontros perfeitamente mágicos,
nas reproduções sexuais
dentro do insondável ,o mistério
da multiplicação, todos
com o som exato
do instante inici[ação]ado...
do momento ex-ato...
E o rápido movimento das asas
de insetos e de aves, todo o tempo?
E as bagas que estalam e se abrem
para cumprir seus ciclos?
E os ovos que se abrem?
E os galhos que se partem?
E os beijos em sons úmidos,
na intimidade dos seres?

Tantos sons, na sinfonia sempiterna
na qual tantos sequer prestam atenção,
mas que provocam ondas vibratórias
lindas, em concertos impagáveis,
a sugerir joelhos dobrados
em agradecimento, em oração,
sobre a Terra, sobre a terra...
a fazercom que se dance, em espirais
simétricas e ritmadas...
Tantos sons, tantos sons!
E a eles, junto aplausos,
a essa Natureza tão imitada
jamais igualada totalmente...
Clap-clap-clap...
Cri...cri...cri...
Tchabum!
Ploft...Ploft..
plic...
zzzzzzzzzzzzzzzz

>>>****<<<<

Dos segredos

A mulher é qual a mata:
parece misteriosa,ignota
mas quem ousa penetrá-la
encontra os segredos das sementes
e do homem...

Flores se abrem,
bagas estalam
revelando possibilidades
de multiplicação...

Frutos se penduram
esperando o tempo certo
da maturação...

Gotas de orvalho e chuva
se armazenam
em recônditos, estruturas
musgos e liquens,
acamurçam troncos úmidos...

Insetos, aves, animais invisíveis
vivem seus ciclos vitais...
Há sebes virgens
há bosques jovens
há florestas antigas
há pomares consagrados
programados...

Cabe ao curioso aventureiro
ter muita intrepidez
mas também paciência
[Clevane Pessoa de Araújo Lopes]

biografia:

Nasceu no Rio Grande do Norte,mas está residindo em Minas gerais.
Psicóloga,contista,poetisa e ilustradora,oficineira de Poesia.Militou na imprensa mineira nos Anos de Chumbo,da Ditadura Militar,sempre lutando com palavras pela liberdade de ser.
Dois livros de poesia:Sombras feitas de Luz e Asas de Água[plurarts editora,de Belo Horiznte].Participa de mais de trinta antologias literárias.
É co-autora,nos capítulos de Homossexualidade e Sexualidade do Adolescente,no compêndio\'Adolescência,Aspectos Clínicos e Psico-sociais\',da editora ArtMed,de Porto Alegre,RS.
Oficineira em assuntos de Adolescência ,realiza treinamentos para profissionais,adolescentes e pais.Como palestrista,aborda assuntos tanto na área de psicologia,quanto na de Literatura.
Possui quinze e-books,na Biblioteca Virtual do CEN[Portal Brasil -Portugal]e da ABVL,entre outras da Internet.
Sua luta de cunho social a acompanhapor toda a sua vida e se reflete em seus escritos.
Mereceu vários prêmios,entre osquais o Primeiro Lugar de Crônica,troféu Contraponto,o primeiro lugar de Conto,Prêmio ex-aeqüo nos XXIII Jogos Florais do Algarve.
Possui alguns sites,e em seu blog,sempre à disposição de outros poetas e literatos,artistas e educadores,publica textos que lhe enviam para triagem e os que escolhe[www.clevanepessoa.net/blog.php].
Possui poster poemas,poster de trovas e escreve em jornais e revistas virtuais.
Transita livremente pela Poesia,da trova edo cordelà Poesia Concreta,ao poetrix,ao haicais,passando pelos clássicos,como o soneto.
É viúva do Engenheiro Civil Eduardo Lopes da Silva,mãe de Cleanton Alessandro[bass-man] e Gabriel[massoterapeuta].
Considera a Poesia sua necessidade plena.Escreve-a desde a infância.

asasdeborboleta16@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s