s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Neucivaldo Dos Santos Moreira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Insnia

Na madrugada tateio papis e caneta
Vasculho um rastro livre na memria
Somente um silncio profundo.

Um trnsito a lentos passos.

Nessa linha da imagem que construo
Passo a martelar as letras
Busco construir palavras, frases, pargrafos...
Uma forma de romper o silncio da insnia.

Do peso de cada martelada
Resulta em infinitos papis amassados
...
Na gaveta, os guardados da memria, desistem de ficar no acaso
Comeo de amores, de dores, pudores, rancores...
Mas apenas rumores do presente, suficientes,
Trazem um gosto doce e amargo:
saudade de sentir tua boca.

longa a caminhada de um querer que no quer ser
Ser penas uma saudade.
o presente dilatando o passado, o futuro so apenas papis amassados.
Retraindo
Renegando um querer de bloquear as imagens do agora,
Restos do passado.
a vontade de sentir tua boca.

Mas o travo do desejo insistente que sempre rompe,
Tropeando em minhas memrias, essa insnia, cansa.

Amanheceu e junto a saudade de sentir tua boca
...

CLICE DE HOMEM

L, eles esto.
Soberbos, imponentes, sedutores...
Reflexivos, cristais de fragilidade e beleza.
Brilhantes.
Contemplao

Dois olhares inquietos os consomem
Desejos das partes
Amor mtuo
Venerao

O homem agarra o clice
O clice agarra o homem
Harmonia ou consumao ?

Longas aventuras...
O homem e o clice.
Horas o homem merlot. O clice, gamay, chardonnay.
Horas o clice merlot, o homem, gamay, chardonnay.
Cumplicidade

O homem, doce. O clice, seco.
O acar cria uma mscara
Falsidade
O homem pode ser seco
Mais um brinde
J vcio
O homem o clice
O clice j o homem.
Duas almas embriagadas, enaltecidas, etlicamente desnudadas, a sangue.

O clice ergue o homem. O vinho ergue a vida.

Poema sem nome

Como o sol ignora a lua,
voc me trata;
Como as horas consomem o tempo,
voc me mata;
Como a morte teme meus pecados
dessa vida sempre de partida
espanto as lembranas
espanto as expectativas
idolatro o espao, a presena, a sensao do agora,
desconfio do futuro,
o tempo insacivel,
encarno o desejo desobediente do mvel momento
momentos que na imaginao di mais.
Por isso
respiro-te
mastigo-te
venero-te
Como quem causa prazer,
Como quem causa dor,
Como quem sente medo,
pela ltima vez.
Assim, desapego-me da minha saudade, do meu futuro para fica num eterno presente,
Perto de voc.

biografia:

Neucivaldo dos Santos Moreira
, nascido em Santarm, Par, no dia 05 de evereiro de 1968, filho de Maximino Soares Moreira e Maria Neusa dos Santos Moreira. Estudou na Escola Frei Othmar, Colgio Rodrigues dos Santos, e no ILES/ULBRA, formou-se em LETRAS. Concluiu ps graduao pela ULBRA em 'Administrao e Planejamento para Docentes' e pela Universidade Estadual da Paraba, ps-graduou-se em 'Marketing '. Foi Professor da Rede Estadual de Ensino do Par-Brasil, do Colgio Objetivo - Santarm, do Centro de Formao do IESPES[Instituto Esperana de Ensino Superior],. Atuou de 1997 a 2005 como professor do Instituto Luterano de Ensino Superior de Santarm na rea de Literatura e Teoria da Literatura, foi nomeado recentemente pelo Governo do Par [atravs de concurso] para desenvolver suas atividades como professor. Alm da atividade de Professor, gerente comercial da TV Santarm - Canal 12 - Rede Bandeirantes de Televiso - desde 1987. publicitrio e produtor de programas de televiso.
Tem 04 livros de poemas publicados. O ltimo 'Seleta e Outros poemas '. Os poemas aqui ublicados fazem parte do prximo livro a ser lanado em 2006.

http://www.neucivaldo.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s