s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Rosimeire Leal da Motta
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

NOVOS TEMPOS

Casinhola formada por um engradado de arame.
Pequena prisão para um pássaro gigante.
Coração feminino.
Fragmentos de épocas longínquas,
encarcerados.
Cenas traumatizantes,
conservadas cuidadosamente.
Passado barrando o presente,
prejudicando o futuro.
Quarto escuro da sua alma.
Impossibilidade de desfazer-se das tralhas do porão,
impossível separar-se dos episódios sombrios.
O prisioneiro cantava uma opera triste,
ecoando em todos os setores da sua existência:
fantasma, assombrando as tentativas de ser feliz.
Um certo dia,
este som rachou os vidros das janelas,
abalou os aliceces da residência interior,
derreteu as grades da alma.
A opressão desmaterializou-se no ar.
O cofre dos sentimentos liberou a tristeza.
A brisa da paz soprou levemente,
a porta se abriu:
prenúncio de novos tempos.

AMAR EM SEGREDO

Noite.
Abstém-se de manifestar seus pensamentos.
Madrugada.
Sentimento íntimo lhe ruboriza a face.
Ouve-se um clamor mudo da alma.
Um movimento interior quebra o silêncio noturno.
A lua cheia estaciona diante dos seus olhos.
A claridade denuncia os anseios do seu coração.
Os reflexos do luar transformam-se em sombras na parede:
são os contornos de um alguém que reina em seus sonhos.
O vento murmura seu nome.
Ama e não ousa revelar a ninguém!
O galo canta.
Desponta as primeiras horas do dia...
Fecha a janela e a cortina do seu querer.
Segredo.

ÁGUAS DA EXISTÊNCIA

Substância líquida e incolor.
Mares, lagos e rios,
inundam sua consciêcia.
Perdeu o conhecimento de si mesmo.
Insípida e inodora.
A vida é simultaneamente
transparente, sem gosto e sem cheiro.
Essencial para a existência é a água.
Escorre das árvores... choro:
foram feridas e queimadas!
Lágrimas e suor,
lavam a alma do cansaço de existir.
Solvente inigualável para as emoções.
Os sentimentos são dissolvidos pelo descrédito.
Estado de torpor.
Maré alta, ondas selvagens,
afogam os pensamentos insensatos.
Enchente alaga a lucidez.
Na lagoa flutuam os pedaços do seu \'eu\'.
Inconsciência.
Trágica é a realidade naufragada no seu coração.

biografia:
Rosimeire Leal da Motta


Nasci e resido no município de Vila Velha, no Estado do Espírito Santo, em 16 de abril de 1969. Sou, por formação, professora e Técnica em Contabilidade. Sou criativa e sempre tenho muitas idéias. Gosto de pesquisar, descobrir e analisar. Além da literatura aprecio a História e a Arqueologia. Deus está em primeiro lugar na minha vida. Sinto uma paixão especial peloidioma espanhol, museus de arqueologia e exposição de quadros. O traço marcante da minha personalidade é a timidez e o romantismo. Comecei a escrever aos 15 anos, seguindo o exemplo da minha mãe, que usava a escrita como uma maneira de expressar seus problemas pessoais. A outra influência foi a leitura, pois por ser tímida, passei a maior parte da minha adolescência lendo. Desenvolvo o estilo Simbolismo, onde a vida interior é revelada por meio de símbolos. Existe a postura romântica, centralizada no \'eu\', explorando as camadas mais profundas do subconsciente e inconsciente... interioridade... poesias endereçadas à emoção... romantismo... idéias envoltas em sombra, em névoa... Na verdade, não sei explicar como adquiri este estilo, possivelmente deve ter sido porque sempre fui tímida e tinha vergonha de falar sobre mim de maneira clara e então inconscientemente, usava objetos materiais e abstratos para representar o que sinto.

Página pessoal:

http://www.rosimeire.xpg.com.br/

* LIVRO PUBLCADO:
- \'Voz da Alma\' - Editora CBJE - RJ - Novembro/ 2005 - Poesia e Prosa.

rosimeire_lm@oi.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s